Protecting Your Skin from Cancer: Expert Tips for Daily Sun Protection

Protegendo Sua Pele do Câncer: Dicas de Especialistas para a Proteção Solar Diária

Sarah Ferguson, Duquesa de York, recentemente revelou seu diagnóstico de melanoma maligno, um tipo de câncer de pele. O câncer foi detectado depois que seu dermatologista recomendou examinar e analisar as pintas em sua pele. Atualmente, ela está passando por mais exames para avaliar a extensão da doença.

Enquanto monitorar suas pintas é crucial para a detecção precoce do melanoma maligno, especialistas sugerem que a proteção solar diária é igualmente importante para reduzir o risco de câncer de pele. Os melhores dermatologistas do Reino Unido oferecem insights valiosos sobre maneiras eficazes de proteger sua pele dos efeitos nocivos do sol.

Uma das principais recomendações dos especialistas é usar protetor solar com fator de proteção solar (FPS) todos os dias, independentemente da estação do ano. Embora o Serviço Nacional de Saúde (NHS) aconselhe a aplicação de protetor solar apenas de abril a outubro, quando o índice de UV está acima de três, os dermatologistas enfatizam que os raios UV estão presentes durante todo o ano. Mesmo se você estiver dentro de casa ou perto de uma janela, estará exposto à radiação UV. Aplicar protetor solar no inverno ajuda a prevenir a exposição cumulativa aos raios UVA, que pode levar ao envelhecimento da pele e ao desenvolvimento de certos tipos de câncer de pele.

Ao escolher um protetor solar, os dermatologistas enfatizam a importância da proteção contra raios UVA e UVB. É recomendado um FPS de 50, pois a maioria das pessoas geralmente usa menos protetor solar do que o necessário para alcançar o nível de proteção indicado. Além disso, é aconselhável reaplicar o protetor solar a cada duas horas, especialmente depois de nadar, fazer exercícios, suar ou se secar com toalha.

Além do protetor solar, os dermatologistas também sugerem cautela com certos produtos e procedimentos para cuidados com a pele. Retinoides tópicos e ácidos encontrados em peelings ou tratamentos a laser podem aumentar temporariamente a sensibilidade da pele ao sol, tornando-a mais propensa a queimar. É aconselhável ter cuidado extra e reaplicar o protetor solar com frequência após o uso desses produtos.

Além disso, é importante estar ciente de que não existe um nível “seguro” de exposição ao sol quando se trata do risco de câncer de pele. Embora passar tempo ao ar livre tenha seus benefícios, como aumentar os níveis de vitamina D, muitas vezes é necessário suplementação, especialmente no Reino Unido, onde a luz solar por si só pode não fornecer uma quantidade adequada.

Diferentes tipos de pele requerem atenção específica. Indivíduos com pele mais escura são incentivados a usar protetor solar de amplo espectro com FPS 50, pois não são imunes ao câncer de pele. Por outro lado, pessoas com cabelos vermelhos, que frequentemente têm uma variação do gene MC1R, precisam ter cuidado especial devido ao maior risco de melanoma.

Proteger sua pele do câncer envolve um compromisso diário com a proteção solar. Seguindo os conselhos de especialistas e incorporando hábitos simples em sua vida diária, você pode reduzir significativamente o risco de desenvolver câncer de pele.

Perguntas frequentes:

1. O que é melanoma maligno?
Melanoma maligno é um tipo de câncer de pele. Foi diagnosticado recentemente em Sarah Ferguson, Duquesa de York.

2. Como o câncer foi detectado?
O câncer foi detectado pelo dermatologista de Sarah Ferguson, que recomendou examinar e analisar as pintas em sua pele.

3. Por que é importante monitorar pintas?
Monitorar pintas é crucial para a detecção precoce do melanoma maligno.

4. Qual a importância da proteção solar diária?
A proteção solar diária é importante para reduzir o risco de câncer de pele. Mesmo dentro de casa ou perto de uma janela, você pode estar exposto à radiação UV.

5. Qual o FPS recomendado para protetor solar?
Dermatologistas recomendam o uso de protetor solar com FPS 50 para garantir uma proteção adequada.

6. Com que frequência o protetor solar deve ser reaplicado?
É aconselhável reaplicar o protetor solar a cada duas horas, especialmente depois de nadar, fazer exercícios, suar ou se secar com toalha.

7. Quais produtos e procedimentos para cuidados com a pele devem ser utilizados com cautela?
Retinoides tópicos e ácidos encontrados em peelings ou tratamentos a laser podem aumentar temporariamente a sensibilidade da pele ao sol. É recomendado ter cuidado extra e reaplicar o protetor solar com frequência após o uso desses produtos.

8. Existe um nível “seguro” de exposição ao sol?
Não, não há um nível “seguro” de exposição ao sol quando se trata do risco de câncer de pele. Passar tempo ao ar livre pode ter benefícios, mas muitas vezes é necessário suplementação de vitamina D.

9. Diferentes tipos de pele são mais suscetíveis ao câncer de pele?
Sim, diferentes tipos de pele requerem atenção específica. Indivíduos com pele mais escura não são imunes ao câncer de pele e são incentivados a usar protetor solar de amplo espectro com FPS 50. Pessoas com cabelos vermelhos e variação do gene MC1R têm um maior risco de melanoma e precisam ter cuidado especial.

Definições:

– Melanoma Maligno: Um tipo de câncer de pele que pode ser fatal se não for detectado e tratado precocemente.
– FPS (Fator de Proteção Solar): Uma medida da capacidade de um protetor solar de prevenir queimaduras solares causadas pelos raios UVB.
– UVA (Ultravioleta A): Um tipo de radiação ultravioleta que penetra nas camadas mais profundas da pele e pode causar envelhecimento da pele e certos tipos de câncer de pele.
– UVB (Ultravioleta B): Um tipo de radiação ultravioleta que afeta principalmente as camadas externas da pele e é a principal causa de queimaduras solares.
– Retinoides: Uma classe de compostos químicos relacionados à vitamina A que são frequentemente usados em produtos para cuidados com a pele por sua capacidade de promover a renovação das células da pele e reduzir sinais de envelhecimento.
– Gene MC1R: O gene responsável pela produção do receptor de melanocortina 1, que determina a pigmentação do cabelo, pele e olhos. Variações nesse gene estão associadas a um maior risco de melanoma.

Links relacionados:

– NHS: Melanoma Maligno
– American Cancer Society: Câncer de Pele
– Skin Cancer Foundation

All Rights Reserved 2021
| .
Privacy policy
Contact