New Study Supports Long-lasting Efficacy of Typhoid Vaccine, Bringing Hope to Vulnerable Populations

Novo estudo apoia a eficácia duradoura da vacina contra a febre tifoide, trazendo esperança para populações vulneráveis

A Organização Mundial da Saúde (OMS) identificou a febre tifoide como um grande problema de saúde global, com cerca de 9 milhões de pessoas adoecendo e 110.000 morrendo de Salmonella Typhi, comumente conhecida como febre tifoide, a cada ano. Em 2024, crianças em países endêmicos de febre tifoide, especialmente na Ásia e África subsaariana, enfrentam riscos significativos devido ao acesso inadequado à água potável segura e saneamento adequado.

A OMS alerta que viajantes nessas regiões também correm risco devido aos baixos padrões de higiene alimentar e baixa qualidade da água. No entanto, há boas notícias no horizonte – vacinas aprovadas contra a febre tifoide estão disponíveis, oferecendo esperança para a prevenção e controle.

A eficácia dessas vacinas, especialmente a duração da proteção, tem sido tema de debate. Felizmente, um recente estudo revisado por pares conduzido por pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade de Maryland (UMSOM) lançou luz sobre essa questão.

Publicado no The Lancet em 25 de janeiro de 2024, o estudo se concentrou em um ensaio clínico de fase 3 da vacina polissacarídica conjugada ao toxóide tetânico Vi-TT. Descobriu-se que uma única dose dessa vacina proporciona eficácia duradoura por pelo menos quatro anos em crianças e é eficaz em todas as faixas etárias, incluindo crianças com menos de dois anos.

As descobertas do estudo têm implicações significativas, pois apoiam o impacto duradouro de uma única dose da vacina Vi-TT, mesmo nas crianças mais vulneráveis. A Dra. Kathleen Neuzil, diretora do CVD e coautora do estudo, observou que esses resultados oferecem esperança para prevenir a febre tifoide em crianças com maior risco.

Durante o ensaio, 28.130 crianças receberam a vacina Vi-TT e, após um acompanhamento médio de 4,3 anos, a incidência de febre tifoide foi significativamente reduzida. A eficácia da vacina foi de 78,3%, indicando que apenas 163 crianças precisavam ser vacinadas para prevenir um caso de febre tifoide.

Esses resultados promissores estão alinhados com as recomendações atuais da OMS para campanhas de vacinação em massa entre crianças com idade de nove meses a 15 anos em regiões endêmicas de febre tifoide. Posteriormente, a introdução da vacina na rotina nos primeiros dois anos de vida deve ser implementada.

O desenvolvimento de vacinas contra a febre tifoide tem sido uma jornada progressiva, começando com versões inativadas de células inteiras no século 19, que tinham efeitos colaterais adversos. Vacinas de segunda geração, como as vacinas atenuadas e vacinas de polissacarídeo capsular, enfrentaram limitações em termos de restrições de idade e menor imunogenicidade em crianças pequenas.

Para superar esses desafios, foram desenvolvidas vacinas conjugadas contra a febre tifoide (TCVs), que demonstraram respostas imunes robustas. Atualmente, as TCVs, incluindo a Typbar TCV® pré-qualificada desenvolvida pela Bharat Biotech, estão disponíveis e mostraram alta imunogenicidade e eficácia na prevenção de infecções por febre tifoide.

Embora os casos de febre tifoide sejam relativamente raros nos Estados Unidos, ocorrendo principalmente em indivíduos que viajaram internacionalmente, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) oferecem duas vacinas contra a febre tifoide para pessoas em risco. Isso inclui uma vacina inativada (morta) e uma vacina atenuada (enfraquecida). Os profissionais de saúde podem ajudar as pessoas a determinar a vacina mais adequada para suas necessidades.

É importante observar que nenhuma vacina atualmente protege contra a febre paratifoide, outra cepa da bactéria Salmonella. Isso destaca a necessidade de pesquisas e desenvolvimento contínuos no campo da prevenção da febre tifoide.

Através do apoio de organizações como a Fundação Bill e Melinda Gates, o Consórcio de Aceleração de Vacinas contra a Febre Tifoide está impulsionando avanços no desenvolvimento e implementação de vacinas contra a febre tifoide. Seus esforços visam proteger populações vulneráveis e reduzir a carga global da febre tifoide.

Perguntas frequentes sobre vacinas contra a febre tifoide

1. O que é a febre tifoide e por que é um problema de saúde global?
A febre tifoide, causada pela bactéria Salmonella Typhi, é uma doença infecciosa grave que afeta milhões de pessoas em todo o mundo a cada ano. Ela representa um grande problema de saúde global devido ao alto número de doenças (9 milhões) e mortes (110.000) que causa anualmente.

2. Quem está em risco de infecção por febre tifoide?
Crianças em países endêmicos de febre tifoide na Ásia e África subsaariana estão particularmente em risco devido ao acesso inadequado à água potável segura e saneamento adequado. No entanto, viajantes nessas regiões também estão vulneráveis à febre tifoide devido aos baixos padrões de higiene alimentar e baixa qualidade da água.

3. Existem vacinas disponíveis para prevenção da febre tifoide?
Sim, existem vacinas contra a febre tifoide aprovadas que oferecem esperança para a prevenção e controle. Uma dessas vacinas é a vacina polissacarídica conjugada ao toxóide tetânico Vi-TT.

4. O que o estudo recente conduzido pela Escola de Medicina da Universidade de Maryland revela sobre a vacina Vi-TT?
O estudo descobriu que uma única dose da vacina Vi-TT proporciona eficácia duradoura por pelo menos quatro anos em crianças e é eficaz em todas as faixas etárias, incluindo crianças com menos de dois anos. Essas descobertas sugerem que até mesmo as crianças mais vulneráveis podem se beneficiar de uma única dose dessa vacina.

5. Qual é a eficácia da vacina Vi-TT?
O estudo descobriu que a vacina Vi-TT tem uma eficácia de 78,3%. Isso significa que a vacinação de 163 crianças evitaria um caso de febre tifoide.

6. Quais são as recomendações atuais da Organização Mundial da Saúde (OMS) em relação à vacinação contra febre tifoide?
A OMS recomenda campanhas de vacinação em massa entre crianças com idade de nove meses a 15 anos em regiões endêmicas de febre tifoide. Além disso, a introdução da vacina na rotina nos primeiros dois anos de vida é aconselhada.

7. Existem outras vacinas contra a febre tifoide além da vacina Vi-TT?
Sim, existem vacinas conjugadas contra a febre tifoide (TCVs) disponíveis, como a Typbar TCV® desenvolvida pela Bharat Biotech. Essas vacinas demonstraram alta imunogenicidade e eficácia na prevenção de infecções por febre tifoide.

8. Quais vacinas contra a febre tifoide estão disponíveis nos Estados Unidos?
Nos Estados Unidos, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) oferecem duas vacinas contra a febre tifoide: uma vacina inativada (morta) e uma vacina atenuada (enfraquecida). Os profissionais de saúde podem ajudar a determinar a vacina mais adequada para pessoas em risco.

9. Alguma vacina atual protege contra a febre paratifoide?
Não, atualmente não há vacina disponível que proteja contra a febre paratifoide, uma cepa da bactéria Salmonella. Esforços contínuos de pesquisa e desenvolvimento são necessários nessa área.

Termos-chave:
– Febre tifoide: Uma grave infecção bacteriana causada pela Salmonella Typhi.
– Vacina conjugada contra a febre tifoide (TCV): Uma vacina que protege contra infecções por febre tifoide estimulando respostas imunes.
– Eficácia: A eficácia de uma vacina ou tratamento na prevenção ou redução

All Rights Reserved 2021
| .
Privacy policy
Contact