New Insights into the Prevention of Cleft Lip and Palate Revealed by Mice Study

Novas Descobertas sobre a Prevenção do Lábio Leporino e Fenda Palatina Reveladas por Estudo em Camundongos

O lábio leporino e a fenda palatina são defeitos de nascimento comuns que afetam milhares de recém-nascidos em todo o mundo a cada ano. Essas condições têm intrigado os pesquisadores há décadas, pois as causas exatas e as medidas preventivas ainda são desconhecidas. No entanto, um estudo recente realizado na Escola de Medicina Veterinária da Universidade de Wisconsin trouxe novas informações sobre o desenvolvimento orofacial em camundongos, potencialmente levando a futuras estratégias para reduzir o risco desses defeitos em humanos.

O estudo, publicado nos Proceedings of the National Academy of Sciences, fornece as primeiras evidências diretas de que a metilação do DNA, um processo que envolve alterações na expressão gênica sem modificar a sequência de DNA, desempenha um papel crucial no desenvolvimento craniofacial. Os pesquisadores descobriram que interrupções na metilação do DNA podem interferir na formação do lábio e do palato, resultando em lábio leporino e fenda palatina em camundongos.

Sob a liderança do professor associado Robert Lipinski, a pesquisa destaca a importância de entender os fatores ambientais que interagem com a genética para causar esses defeitos de nascimento. Enquanto a genética tem sido amplamente estudada, o componente ambiental permaneceu em grande parte inexplorado. Lipinski explica: “Conectar os lábios leporinos e fendas palatinas à metilação do DNA ajuda a direcionar nosso foco para as influências ambientais específicas que modificam o risco para esses tipos de defeitos de nascimento.”

As descobertas da equipe de Lipinski confirmam o papel essencial da metilação do DNA na regulação do desenvolvimento orofacial durante as fases embrionárias. Interrupções nesse processo podem afetar a capacidade das células-tronco de formar os tecidos craniofaciais necessários, resultando em lábio leporino e fenda palatina.

Para chegar a essas conclusões, os pesquisadores manipularam geneticamente a metilação do DNA em dois grupos de embriões de camundongo. Os experimentos geraram resultados aparentemente contraditórios, com o desenvolvimento de lábio leporino e fenda palatina em um grupo, mas não no outro. Isso sugere que o momento e os fatores específicos envolvidos na metilação do DNA desempenham um papel crítico no desenvolvimento orofacial.

No geral, este estudo representa um avanço significativo na compreensão dos mecanismos subjacentes ao lábio leporino e à fenda palatina. Ao desvendar o papel da metilação do DNA no desenvolvimento craniofacial, os pesquisadores podem eventualmente desenvolver estratégias preventivas para reduzir o risco desses defeitos de nascimento tanto em animais quanto em humanos.

FAQ

All Rights Reserved 2021
| .
Privacy policy
Contact